Dicas de Antiguidades

Como saber o valor de uma antiguidade?
O valor das antiguidades obedece a certos padrões fixos, como o material, o estado de conservação, marca, procedência, idade, raridade e, é claro, oscilam conforme a famosa “Lei da Oferta e da Procura”. Ou seja, quanto mais cobiçada a peça, maior será o seu valor. Outros fatores influenciam no valor final das peças e que são muito subjetivos. O valor ESTIMATIVO, por exemplo. Um objeto simples, modesto, pode ter um valor sentimental gigantesco. Da mesma forma, objetos raros e caros (comercialmente falando) podem adquirir valores insignificantes que podem chegar até o desprezo total.

Quando um objeto se torna uma antigüidade?
A História do Brasil é muito recente. Temos pouco mais de 500 anos. Isto influencia diretamente no conceito do que nós, brasileiros, consideramos “antiguidade”. Por isso, é comum encontrar-se em ANTIQUÁRIOS, peças da década de 50. Ou mesmo peças “COLECIONÁVEIS”, como os famosos pingüins de geladeira, em moda nos anos 60. O valor ARTÍSTICO é outro fator muito relevante. É claro que o objetivo dos antiquários é comercializar peças com idade bem maior. Mais de 100 anos. Mas nem sempre isso é possível. Nos anos 20 entrou em moda um estilo que é muito apreciado pelos brasileiros de um modo geral, por suas linhas simétricas e geométricas: o estilo ART DECÓ. Peças desse período são encontradas em antiquários. Nos Estados Unidos, as antigüidades são avaliadas de diversas formas. Para algumas pessoas, uma antigüidade é apenas algo que existe há mais de 100 anos, mas para outro, um objeto só pode ser chamado de antigüidade se tiver sido fabricado por volta do ano de 1700, ou antes. Já na Europa, se pode encontrar, em antiquários, móveis e objetos com 400 ou 500 anos.

Algumas dicas para reconhecer o MARFIM:
1º – O Marfim possue em sua estrutura raias ou riscos – estes riscos devem se cruzar formando uma grade
2º – O osso e outros materiais possuem estas raias ou riscos porém elas correm paralelas e não formam a grade
3º – Esquente a ponta de um alfinete e encoste na peça. Faça isso na parte inferior da peça, na base. Se não for Marfim o alfinete penetrara na peça. No Marfim não acontece isso.
4ª – Com relação a coloração é possivel identificar a antiguidade do marfim, porém esta não é uma tarefa fácil. A coloração pode ser falseada mesmo nas peças originais.
Como reconhecer-se uma antiguidade e uma imitação?


Verifica-se uma antigüidade pelas gavetas e encaixes 
Há diversas formas de se identificar uma antigüidade. 
A primeira pista é o trabalho de marcenaria. Os móveis industrializados só começaram a ser fabricados por volta de 1860. Se o móvel tiver gavetas, retire uma delas e verifique onde as partes frontal e traseira estão fixadas nas laterais. Se uma dobradiça foi encaixada à mão, os encaixes são poucos e não exatamente iguais. Se o espaçamento e o corte dos encaixes forem precisos, você estará diante de um móvel industrializado. Encaixes feitos à mão quase sempre indicam que a peça foi fabricada antes de 1860. Olhe bem no lado de baixo, nas laterais e na parte traseira. Se a madeira apresentar entalhes ou cortes, provavelmente foram feitos com alguma espécie de plaina ou corta-chefe. Marcas retas de serra também indicam que a peça é antiga. Se a madeira mostrar marcas circulares ou em forma de arco, foi cortada por uma serra circular, que só começou a ser utilizada por volta de 1860. Outro indício de que a peça é industrializada é a simetria exata. Nos móveis feitos à mão, travessas, ripas, bilros, embaladeiras e componentes de diâmetros pequenos não são uniformes. Examine essas peças cuidadosamente. Pequenas diferenças de tamanho ou formato não são fáceis de detectar. Uma peça de antigüidade legítima pode não ter o corte perfeito, mas sua reprodução com os mesmos componentes terá porque o corte é feito à máquina.
O acabamento na madeira também pode ajudá-lo a saber em que data a peça foi fabricada. Até a era vitoriana, a goma-laca era o único acabamento claro para superfícies; a laca e o verniz só foram desenvolvidos na metade dos século XIX. O acabamento de qualquer peça fabricada antes de 1860 em geral é goma-laca. Se a peça for muito antiga, talvez tenha óleo, cera ou tinta de caseína. Peças finas antigas, em geral, são acabadas com laca francesa, uma variação da goma-laca. Um acabamento em laca ou verniz indica que aquela peça certamente foi fabricada mais tarde.
A madeira em si é a pista final. Móveis muito antigos, fabricados antes do século XVIII, em geral são feitos de carvalho, mas, a partir desta época, o mogno e a imbuia passaram a ser amplamente utilizados. Nos Estados Unidos, o pinheiro era muito utilizado porque era uma madeira fácil de encontrar e de se trabalhar. Móveis de melhor qualidade podem ser feitos de bordo, carvalho, imbuia, cerejeira ou mogno. Mas pelo fato de sempre as mesmas madeiras serem utilizadas na fabricação de móveis, o trabalho artesanal e o acabamento provavelmente são indicadores mais confiáveis da idade da madeira.

Como limpar cubas e pias de porcelana e banheiras?
Para clarear cubas ou banheiras, encha o recipiente com água morna, adicione água sanitária e deixe agir por 30 minutos. Depois enxague bem.
Para as manchas mais profundas, use água oxigenada 20 volumes e com uma escova resistente esfregue o local atingido. As manchas resistentes de pias, podem ser removidas com a aplicação da pasta de bórax (encontrado em farmácias), suco de limão e água sanitária. Deixe agir por 2 horas e depois enxague.

Como eliminar mofo e manchas dos armários?
Evite o mofo com pedaços de giz colocados dentro de saquinhos de pano e distribuídos dentro do móvel.
Para retirar o cheiro e manchas, ferver um litro de vinagre e despejar em uma vasilha sem tampa, colocando-a dentro do guarda-roupas com as portas fechadas por até 3 horas. Após retirar a vasilha, passe um pano molhado no vinagre por dentro e por fora do móvel. Deixe-o aberto por várias horas para que seque bem.
Para as manhas, lave-as com uma solução de água e água sanitária, na proporção 1:1. Depois retire a solução com água limpa e deixe secar.

Como conservar e proteger móveis?
Em móvel escuro use óleo de peroba, que hidratará a madeira, deixando-a brilhosa com uma película protetora. Não use óleo de peroba em madeira clara e porosa, com a absorção, poderá tingir e manchar.
Móvel exposto ao sol, use cera para carro com filtro solar.
Para conservar a madeira, passe cera incolor pastosa com silicone, a cada 15 dias. Deste modo, a cera formará uma película protetora.
Móvel com laminado lascado, o aconselhável é substituir a parte danificada ou aplicar uma mistura de cola branca e serragem de madeira da cor do móvel.
Se a tonalidade do móvel é intermediária entre o claro e escuro, use cera de abelha para tapar o furo.

Como saber se um móvel tem ou não cupim?
Ao comprar um móvel antigo ou antiguidade examine se está sem cupins. Para ter certeza da inexistência dos mesmos faça o seguinte teste:
Bata com um objeto (caneta, chave de fenda) cuidadosamente para não marcar o móvel, em toda a superfície. Se o som for diferente em alguma parte, repita a operação das batidas. Neste local podem existir ninhos de cupins, parte interna oca da madeira. Se houver interesse na peça solicite a eliminação dos cupins.

Cuidado para não comprar “gato por lebre”:
Cuidado com as cores do mobiliário. Graxa de sapato, anilina, betume, parafina e palha de aço são métodos utilizados por maus profissionais, para transformar pinho em mogno ou imbuia, ou para envelhecer artificialmente uma peça.

Com o limpar baquelite (ex telefones pretos)?
Use polidor de metais.

________________________

MADEIRAS
NORMALMENTE UTILIZADAS EM MOBILIÁRIO ANTIGO
A espécie das madeiras são um indicativo primário para se aceitar como data de determinada peça. As árvores são regionais. E algumas espécies crescem somente em determinadas regiões. Muitas madeiras são embarcadas e beneficiadas em outros países.
As madeiras mais utilizadas no mobiliário antigo foram:
Madeiras escuras
Jacarandá, Mogno, Nogueira, Pau-rosa e Cedro
Madeiras claras
Louro, Louro-Freijó, Carvalho, Macieira, Pinheiro (araucária), Sucupira e Vidoeiro.

NÃO ARREMATE SEM ANTES ...
Ir às exposições que antecedem o leilão de arte.
Escolher, na visita, a peça que vai arrematar, pois no leilão os lances são rápidos, e você pode comprar algo por impulso.
Tirar, ainda na exposição, todas as dúvidas sobre a procedência e o valor dos lotes com o leiloeiro.
Se possível, fazer a visita acompanhado de alguém que entenda de arte e antiguidades e que diga quais as melhores peças.
Ponderar que comprar poucas peças, mas boas, é melhor que muitas e baratas.
Avaliar as peças pelo seu valor artístico.
Saber que quem arrematou o produto deve preencher um cheque-caução, que pode ser descontado em 24 horas pelo leiloeiro, se o pagamento não for efetuado.
Calcular a comissão do leiloeiro que é de 5% a 10% sobre o valor da venda.

BONECAS ANTIGAS
MARCAS
As marcas podem ser encontradas em algumas peças, debaixo do cabelo, na nuca e na parte detrás do ombro. Algumas bonecas podem ainda ter selos ou etiquetas prendidas ao corpo. Assim pode-se identificar o fabricante, origem, número do modelo e tamanho.
ANTES DE COMPRAR ...
Analise as partes individualmente da peça e verifique as condições e se são originais. Principalmente se a cabeça e o corpo pertencem a mesma peça. Pode ocorrer a substituição do corpo devido a danificações ocorridas.

ALABASTRO
Os objetos de alabastro amarelados pelo pó ou pelo fumo, ficarão limpos se forem lavados com água e sabão e depois enxaguados com água pura. Em seguida esfregue-os com um pedaço de camurça. Se as peças estiverem manchadas de gordura, limpe-as com talco ou essência de terebintina.

ESTANHO
Para a limpeza e conservação das peças de estanho você deve usar apenas sabão de côco e água morna. Para dar brilho passe um pano embebido em querosene, e depois lustre com flanela seca.

PRATA
1) Os talheres de prata depois de lavados e limpos com produto especial para prata e enxugados, se forem envolvidos em papel de seda preto, ou em um saco de plástico, permanecerão com brilho por mais tempo.
2) Para recuperar o brilho do faqueiro de prata guardado por muito tempo: Mergulhe os talheres por dez minutos numa solução de 01 litro de água fervente, 01 colher de sopa de sabão em pó e 02 colheres de amônia. Depois, lave-os na torneira em água quente e, em seguida, em água fria.

COMO CONSERVAR SEUS ESPELHOS
Para os espelhos amarelados, sem brilho e com manchas existem maneiras de reparar esses estragos. Registre:
1. Quando os espelhos estiverem muito embaçados, passe, um pedaço de jornal amassado embebido em álcool. A seguir, finalize a limpeza com outro jornal seco.
2. Para tirar manchas de tinta, tente aplicar, com um pedaço de pano, um pouco de vinagre aquecido.
3. Para reavivar o reflexo do espelho passe vinagre misturado com água, em partes iguais, e enxugue com flanela.
4. Evite deixar qualquer tipo de espelho exposto ao sol. A luz e o calor prejudicam, tornando-os turvos e escuros, com manchas irremovíveis.

IMPORTANTE
Antes de utilizar o método sugerido, SEMPRE o faça em uma pequena parte do objeto, observando o resultado, somente se ficar bom, então aplique-o nas partes necessárias da peça.
       RABO DE ANDORINHA
       PARA TIRAR FUNGOS DE VIDROS
       COMO RECONHECER UM MÓVEL ANTIGO (CARACTERÍSTICAS BÁSICAS)
       DIFERENÇAS REGIONAIS NA TERMINOLOGIA: Xícara Caipira /(Isabelina) / Estilo Colonial (rústico) / Vidro Fogo (amberina)...
       Como embalar para transporte
       O Valor de mercado “Lei da oferta e Procura” / Modismo
       Legitimidade das peças
Ao se procurar por peças antigas, é importante certificar-se da veracidade das informações fornecidas pelo vendedor, tais como origem, data, se foi alterada ou se sofreu restauração, e se é cópia, réplica ou original.
Observe com atenção as cores dos móveis. Pessoas levianas se utilizam de graxa de sapato, betume, anilina, palha de aço e parafina para tentar fazer com que o pinho se pareça com mogno ou imbuia, para “envelhecer” uma peça. Madeiras utilizadas na confecção de móveis antigos.  Um indicativo primário para se avaliar a data e origem de uma determinada peça é a espécie da madeira utilizada em sua confecção. Algumas espécies de árvore crescem somente em determinadas regiões. Porém, muitas madeiras são levadas para outros países, onde são então beneficiadas. Madeiras claras: Faia, Macieira, Olmo, Pinheiro e Vidoeiro. Madeiras escuras: Carvalho, Jacarandá, Mogno, Nogueira, Pau-rosa e Teixo.

Estado de conservação
Antes de adquirir qualquer tipo de antigüidade, examine cuidadosamente seu estado de conservação.
Ao comprar um móvel ou uma peça de madeira antigos examine se existe a presença de cupins batendo cuidadosamente, para não marcar o móvel, com um objeto (chave de fenda ou caneta, por exemplo) em toda a sua superfície. Repita a batida caso ouça um som diferente em alguma parte. Neste local podem existir cupins, em parte interna oca da madeira.
Nesta seção, apresentamos algumas dicas de compra, limpeza e conservação de antigüidades.

Como abrir uma tampa “emperrada” na garrafa????

Como tirar o cheiro de restauração ou mofo do interior de gavetas/portas?
Em que semana foi realizada a Semana de Arte Moderna de
1922?
A Semana de Arte Moderna de 1922 aconteceu em apenas três dias: 13, 15 e 17 de fevereiro. O primeiro
deles tratou de pintura e escultura, o segundo foi dedicado à literatura e à poesia e o terceiro dia ficou para
a música. O evento, realizado no Teatro Municipal de São Paulo, foi o grande marco do Modernismo no
Brasil.
O século XXI começou oficialmente em 1º de janeiro do ano
2000 ou no dia 1º de janeiro de 2001?
Começou no dia 1º de janeiro de 2001, uma segunda-feira. Nunca existiu o ano 0 em nosso calendário,
certo? Começamos a contar do ano 1. Assim, somando 2 mil anos ao ano 1, teremos 2001. Na passagem do
século XIX para o XX, no entanto, as duas datas foram bastante festejadas.
Por que dizem que os nobres têm sangue azul?
Na verdade, todos nós temos. As veias têm paredes finas e azuladas e por isso podemos ver o sangue
venoso que elas carregam; esse sangue, pouco oxigenado, tem um tom que tende para o azul. Isso é mais
perceptível em pessoas de pele clara e antigamente o chique era não tomar sol e ter a pele bem
branquinha. Como só os nobres não precisavam trabalhar no campo, embaixo do sol, era mais fácil ver
"sangue azul" deles do que o do resto das pessoas.
Por que é comum os cofres serem retratados na forma de
porco?
No século XVIII, as pessoas guardavam moedas em potes feitos com uma argila chamada pygg. Certa vez,
um ceramista não muito familiarizado com o assunto recebeu uma encomenda de algumas peças deste
material e imaginou que o cliente queria compartimentos com aparência de pig (porco, em inglês). Assim
nasceram os cofres em forma de porquinhos, hoje tradicionais em todo o mundo.
Por que as pessoas batem na madeira para espantar maus
pensamentos?
Cerca de 4 mil atrás, os índios da América do Norte observaram que o carvalho era a árvore mais atingida
por raios. Concluíram que a imponente árvore era a morada dos deuses na Terra e toda vez que se sentiam
culpados por alguma
Qual é a origem da expressão “santo do pau oco”?
GUIA DOS CURIOSOS O LIVRO DAS PERGUNTAS E DAS RESPOSTAS
74
Durante o século XVII, as esculturas de santos que vinham de Portugal eram feitas de madeira. A expressão
surgiu porque muitas delas chegavam ao Brasil recheadas de dinheiro falso. No ciclo do ouro, os
contrabandistas costumavam enganar a fiscalização recheando os santos ocos com ouro em pó. No auge da
mineração, os impostos cobrados pelo rei de Portugal eram muito elevados. Para escapar do tributo, os
donos de minas e os grandes senhores de terras da colônia colocavam parte de suas riquezas no interior de
imagens ocas de santos. Algumas, normalmente as maiores, eram enviadas a parentes de outras províncias
e até de Portugal como se fossem presentes. Outra versão vem de São Vibaldo, retratado sempre dentro de
um tronco de madeira.





7 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. vendo uma maquina fotografica com mais de 30 anos impecavel sabe quem tem intere-se?

    ResponderExcluir
  3. vendo uma maquina fotografica com mais de 30 anos impecavel sabe quem tem intere-se?

    ResponderExcluir
  4. gostaria de saber se posso compartilhar os 2 primeiros paragrafos da tuas dicas tenho um grupo no facebook de antiguidades de jundiai e regiao e gostaria de levar essas informaçoes para as pessoas que frequenta,o grupo inclusive marcaria teu blog sendo a pessoa que deu as dicas e se voce quiser participar do grupo esteja ja convidado. agradeço a atençao se achar que a mensagem essa nao possa ficaraqui pode excluir
    obrigada e tenha uma otima semana

    ResponderExcluir
  5. Tenho uma imagem Oriental de Marfim e gostaria que um especialista desse seu parecer quanto a datacao e o nome da divindade já que eu ganhei não sei sua origem .

    ResponderExcluir
  6. Adorei as dicas do blog! Sou fotógrafa sempre em busca de conhecer novos lugares e inspirações! Conheça meu trabalho em http://deborahmenezes.com

    ResponderExcluir
  7. Mandei um e-mail para vocês, não sei se o blog ainda está ativo. Preciso muito da ajuda de alguém para dizer aproximadamente a data de uma mesinha que comprei!

    ResponderExcluir